26 de nov de 2016

Elogie em publico, corrija no particular

Esta semana no trabalho entrei numa sala e presenciei um grupo de pessoas comentando de uma forma .... nem sei como descrever o erro de um outro profissional que não estava presente. Fiquei atônito, depois de um momento de reflexão e oração decidi comentar com a Gerente superior e lhe pedir permissão para enviar um texto para tentar conscientizar as pessoas sobre a infeliz atitude. Ela autorizou sem nenhuma hesitação. Segue o texto, espero que ajude. Que aos poucos deve ser aplicado não só no ambiente de trabalho mas em todos os segmentos de nossa vida.

Deus nos abencoe

***********************

"Elogie em público, corrija em particular"


Meus caros,


Precisamos trazer essa frase para o nosso cotidiano. Pois assim conseguiremos reduzir conflitos e discordâncias e criar um ambiente mais harmonioso e de respeito.

Lembro-me da história de saqueadores que invadiram uma vilinha. Saquearam, mataram e destruíram tudo que estava nessa vila, um desses saqueadores entrou na casinha de um sábio e começou a destruir a sua casa, para a surpresa do saqueador, O velho sábio sentado estava rindo.  O saqueador lhe pegou com violência e perguntou:

-- Qual motivo do riso?

O velho sábio respondeu:

-- Destruir é muito fácil qualquer um faz, difícil é juntar novamente, reconstruir, reconciliar, reunir. Isso não é qualquer um que faz.


Acredito que seria o mesmo ensinamento, precisamos buscar ter a grandeza de construir, levantar, melhorar as pessoas.
Expor, constranger as pessoas nos torna pequenos e talvez medíocres, pois nos limitamos a agir por emoção e estamos perdendo a capacidade de dialogar na discrição e assim também perdemos a oportunidade de melhorar alguém, na qual é um feito grandioso. Não que possamos errar ou perder a paciência, mas para isso existem as palavras mágicas, "desculpe", "me perdoe".  Elas consertam situações difíceis.

Falar do outro é fácil, difícil deve ser chegar, sentar do lado e ajudar, não só tecnicamente, mas escutando, percebendo que o problema do outro pode ser além do que conhecimentos técnicos.

Mais do que quantidade de trabalhos prontos e benfeitos, conta-se também a forma. Se ele agregou lições para ambas as partes, se obteve bons resultados para todos e não só para um.

Lembre-se, o erro dos outros é um pouco do nossos erros. Quando o outro não teve resultado talvez esteja faltando algo em nós que precisa ser trabalhado. Quando ensino o outro e ele nao aprende, talvez não só ele esteja com alguma dificuldade, mas também eu não esteja sabendo ensinar.

A melhoria é um processo que precisa de paciência, exercício e boa vontade. Mas quando conseguirmos, atingiremos resultados incríveis.


Vamos lá?!

Abraços

Nenhum comentário:

Postar um comentário